quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Partindo para junto de Deus?

Eu confesso que fiquei chocado com a notícia dando conta do suicídio da linda atriz Leila Lopes, a eterna professorinha da TV Globo. O que levaria uma pessoa, que obteve sucesso, dinheiro e muito mais a ter um final de vida assim? Ela, inclusive, fez um filme erótico que causou todo tipo de barulho entre os que foram a favor e que foram contra.

Hoje eu li um trecho da carta que ela deixou como legado e uma frase, em especial, chamou-me a atenção: "Eu não me suicidei, eu parti para junto de Deus". É impressionante como as pessoas encaram deus, encontro com deus de forma inusitada, repetitiva e muitas vezes surpreendente ao extremo!

Vejam parte do que ela legou aos fãs e ao mundo:

"Eu não me suicidei, eu parti para junto de Deus. Fiquem cientes que não bebo e não uso drogas, eu decidi que já fiz tudo que podia fazer nessa vida. Tive uma vida linda, conheci o mundo, vivi em cidades maravilhosas, tive uma família digna e conceituada em Esteio, brilhei na minha carreira, ganhei muito dinheiro e ajudei muita gente com ele. Realmente não soube administrá-lo e fui iludibriada [sic] por pessoas de má fé várias vezes, mas sempre renasci como uma fênix que sou e sempre fiquei bem de novo. Aliás, eu nunca me importei com o ter. Bom, tem muito mais sobre a minha vida, isso é só para verem como não sou covarde não, fui uma guerreira, mas cansei. É preciso coragem para deixar esta vida. Saibam todos que tiverem conhecimento desse documento que não estou desistindo da vida, estou em busca de Deus. Não é por falta de dinheiro, pois com o que tenho posso morar aqui, em Floripa ou no Sul. Mas acontece que eu não quero mais morar em lugar nenhum. Eu não quero envelhecer e sofrer. Eu vi minha mãe sofrer até a morte e não quero isso para mim. Eu quero paz! Estou cansada, cansada de cabeça! Não aguento mais pensar, pagar contas, resolver problemas... Vocês dirão: Todos vivem!!! Mas eu decidi que posso parar com isso, ser feliz, porque sei que Deus me perdoará e me aceitará como uma filha bondosa e generosa que sempre fui."

Fonte: [Folha Online].

Nota: A vida tem caminhos que a razão desconhece e que a religiosidade afirma conhecer. Será que conhece mesmo?

Enéias Teles Borges
Postagem original: 08/12/2009

12 comentários:

Mariza Matheus disse...

Boa tarde,

Confesso que estou um pouco perdida com essas notícias dessa atriz. Por que recentemente ela deu um entrevista (que eu assisti na tv) dizendo que foi diagnosticada com porfiria. A porfiria pode sim levar a um quadro de depressão e até mesmo suicídio. O que me deixa confusa é que ninguém fala dessa entrevista dela. Que estrenho.

E apesar disso, realmente é triste alguém desistir da vida.

Abraço a todos

Mariza

Sabrina Noureddine disse...

Oi Enéias, tb fiquei intrigada com isso, a carta mostra que ela estava cansada da vida, de coisas do cotidiano como pagar contas..., todos nós podemos um dia nos sentir assim, mas não a ponto de desistir de viver!!!

Desconhecia a entrevista citada pela Mariza, mas a depressão é uma doença muito perigosa pois faz com que a pessoa acredite que não terá força de realizar tarefas banais da vida diária...

A mídia poderia aproveitar para divulgar e alertar mais sobre os perigos dessa doença, enfim, a mídia é apenas mercantilista...

Façamos a nossa parte, parabéns por abordar o tema!!!

Abs.

Patrícia_search disse...

Não posso crer que alguém põe fim a sua própria vida para o encontro com Deus,a não ser se essa pessoa estivesse firmada em uma mentira, induzida pelo pai da mentira: Satanás.
É muito difícil crer naquilo que não se pode ver, mas como diz alguém: o essencial é invisível aos olhos.
Para os ateus, nada existe se não pode ser provado cientificamente.
A cegueira espiritual tem levado muitos para um abismo e a mentira secular tem sido pregada num mundo secular e contraditório.
Retomo Sócrates: Quem é o homem? O que é esse conhecimento acumulado socio historicamente sem a presença do Criador?O que é essa ciência humana, essas coisas materiais, sucesso profisisonal, beleza, destituídos da presença de Deus? São trapos de imundície.
Ao planejar o encontro com Deus assinou a sua sentença, a saber, a segunda morte, a morte da alma que Jesus tão encarecidamente salvou.

Cleiton Heredia disse...

Que comentário infeliz o desta sua amiga Patrícia.

Quer dizer que o deus dela não levará em consideração se a pessoa que cometeu o suicídio estava sofrendo de uma grave depressão que a impossibilitou de raciocinar corretamente.

Que boa notícia esta para os familiares enlutados: "seu ente querido tirou a própria vida, portanto está perdido por toda eternidade".

A maioria das igrejas, até mesmo as mais fundamentalistas, está revendo esta posição e muitos já mudaram. Nenhum pastor com bom discernimento teológico e psicológico colocará o suicida no inferno ou na perdição eterna. Atualmente eles se limitam a dizer que só deus conhecia o coração e as condições psicológicas daquela pessoa naquele exato momento. Bem, pelo menos dão uma esperança para os familiares enlutados que crêem na vida eterna.

Carlos H. Barth disse...

Se Satanás realmente existe, a intolerância e cegueira dos dogmas religiosos como os demonstrados no comentário da Patrícia são seu maior fruto.

Patrícia_search disse...

Em retorno a críticas ao meu comentário, lembro que eu tinha cinco anos de idade quando eu fui apresentada a Bíblia Sagrada.
Posteriormente, fui entendendo a seu tempo a finalidade da Palavra, mesmo contraditória e práxica como é.Meu discurso não pretende ser dogmático, revela antes a orientação bíblica para os seres humanos,ateus e cristãos. A vida é um dom de Deus, é algo sagrado.
Ao mesmo tempo, líderes religiosos não dão a última palavra.Nem eu e nem você. Quem vai decidir o destino da alma é Deus e a sua misericórdia.Acredito em um Deus flexível e não dogmático.
Todos atravessamos terríveis adversidades na vida, não nos compete o direito de por fim a própria vida.
Simples assim.Eu tenho o direito de expressar a minha opinião.
Como mãe de uma adolescente de 16 anos, não a pouparei se ela fazer coisas danosas a si.
O problema é que num mundo onde tudo é permitido, falar em limites provoca reações adversas.
Deus é o melhor Juiz.
Abs

Carlos H. Barth disse...

Prezada Patrícia,

Tenho certeza de que todos aqui tem respeito por você, mesmo discordando de suas opiniões. Sou um destes.

Mas perceba, por exemplo, estas suas frases:

"A vida é um dom de Deus, é algo sagrado."
"Todos atravessamos terríveis adversidades na vida, não nos compete o direito de por fim a própria vida."
"Deus é o melhor Juiz."

São frases oriundas de um dogma religioso (mesmo que nesse dogma, Deus seja flexível). E percebo que, de acordo com sua religiosidade, a atitude da Leila foi realmente coisa de Satã. Mas de acordo com a religiosidade da Leila, pode não ter sido. Qual visão está correta?

Acredito ser exatamente esse o questionamento do Enéias. Sua religiosidade afirma conhecer os caminhos da vida (Foi Satã e ponto final). Será que conhece?

É seu direito ater-se a qualquer dogma ou cultura religiosa que quiser. Mas também é direito de Leila ater-se aos dela. E por mais que conjecturem, ninguém pode dizer-se absolutamente ao lado da verdade. Permanece então a pergunta: A religiosidade conhece os caminhos da vida?

É como no jogo de pôquer: Você não toma decisões com base nas cartas do outro jogador mas sim no que você ACHA que são as cartas do outro jogador. Estivesse Leila certa ou errada, ela ao menos já viu as cartas do outro jogador, (e podem elas até mesmo estar em branco, dando razão aos ateus) enquanto nós estamos aqui ainda discutindo se tudo não passa de um blefe.

Cleiton Heredia disse...

Patrícia,

Permita-me lembrar o que você escreveu:

"Ao planejar o encontro com Deus assinou a sua sentença, a saber, a segunda morte"

Você não havia dito que "quem vai decidir o destino da alma é Deus e a sua misericórdia" ou que acredita "em um Deus flexível e não dogmático", pois caso o fizesse eu nem me pronunciaria.

Muito pelo contrário! Você foi dogmática e com base no SEU entendimento da Bíblia sentenciou o suicida à morte eterna. Por isto a razão da minha revolta por tal comentário.

Não vou entrar no mérito das suas crenças, pois isto não vem ao caso, mas quando você diz que a orientação bíblica é para todos os seres humanos, refere-se à orientação conforme a interpretação católica apostólica, católica ortodoxa, batista, metodista, adventista, pentecostal ou a SUA própria interpretação pessoal?

Você sabia que até os ateus possuem sua própria interpretação da Bíblia? Eles a interpretam de forma semelhante às estórias mitológicas e aos contos de fadas.

Outra coisa: você disse que mãe de uma filha de 16 anos, não a poupará caso ela faça coisas danosas a si mesma. Por favor, repense suas palavras. Em um mundo de causa e efeito, ação e reação, caso ela faça alguma coisa que a prejudique, ela já será penalisada sofrendo as consequências de suas escolhas equivocadas. A própria vida não a poupará. Por que ser tão implacável com ela aumentando ainda mais o prejuízo que ela já está sofrendo?

Sou pai de 3 filhos e procuro mostrar para eles que sempre estarei disposto a lhes dar mais uma chance, porém a vida nem sempre terá a mesma disposição.

Uma última coisa: Vamos deixar nossa idéias se digladiarem, mas nós vamos continuar amigos, ok?

Joseane disse...

Vejo o suicídio não como uma ato de fraqueza, mas de coragem mesclado com desespero. É agir contra tudo e todos.É um ato solitário e de comando explícito da sua própria vida. As interpretações desse ato , são só isso: julgamentos de acordo com a crença de cada um.

Carlos H. Barth disse...

Joseane,

Seria você a mesma Joseane que conheço e tenho no Orkut?

Abraço,

Joseane disse...

Carlos Barth
Não sou a Joseane do seu Orkut.

Carlos H. Barth disse...

Ooops. Rs.

Me enganei mas não me culpo, vocês são incrivelmente parecidas na foto e idênticas no nome.

Abraço.

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails