quarta-feira, 25 de junho de 2014

Noite escura e sinistra...


Por mais sinistra que pareça uma noite escura, por mais medo que ela transmita ao inseguro, por mais espantoso que seja o seu existir... Sempre haverá alguém que nela dormirá como se escura não fosse. O que torna a noite escura e sinistra? O macabro que habita o nosso ser ou a escuridão da noite?

Enéias Teles Borges 

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Solidão e abandono...


Muitas vezes nos deparamos com lugares que outrora extravasavam muita vida e alegria. Como num tristonho passe de mágica a vida e alegria se esvaem e em seu lugar ficam a solidão e o abandono. São ditames da vida finita. São momentos fugazes bons e ruins. Tudo passa. A vida, alegria a tristeza e o abandono. Muitos lugares abandonados voltam a ter vida e alegria. Com novos personagens. Que seguem dando ciclo aos acontecimentos da vida... 

Enéias Teles Borges

quinta-feira, 19 de junho de 2014

A história dos três miseráveis...



Três miseráveis pediam esmola na rua. Um político passou e cuspiu na cara dos três. Outro político passou e os ignorou. Um terceiro político passou e deu uma moeda de um real para cada um.

No dia das eleições os três miseráveis foram votar. Odiavam o político que cuspira na cara deles. Nada sentiram de bom ou ruim por aquele que os ignorou. Os três votaram no político que lhes deu esmolas de um real.

Por isso um partido como DEM, que cospe na cara do povo pobre, não vai vencer, PSDB, que ignora o pobre, não vencerá as eleições federais. E o famigerado PT que distribuiu esmolas vencerá com relativa facilidade.

Os pobres vão decidir as eleições nacionais. A classe média perdeu poder de fogo nos governos do PSDB e do PT. Os ricos sempre ganham com qualquer partido. Os pobres que nunca ganharam nada andam recebendo esmolas. Melhor a esmola do que nada...

Falo do óbvio ululante. Ninguém precisa ser gênio para chegar à mesma conclusão.

Enéias Teles Borges

quarta-feira, 21 de maio de 2014

No fim da estrada

Pode haver um parque, jardim, lago ou uma tempestade. Nossos dias têm sido estradas retas que rumam ao previsível turbilhão. Estamos num carro desgovernado. Não somos os motoristas. Quem dirige não sabe se está no caminho certo. Avista a tempestade e segue na direção dela. Estamos tensos. Somos sofridos. Mais sofrimento virá. Nosso futuro não será fácil. Temos que lutar sem ajuda de ninguém. A tempestade alcançará a todos. Muitos sucumbirão.

Enéias Teles Borges

sexta-feira, 16 de maio de 2014

A realidade e o devaneio...




Quando o Sol se põe sabemos que mais um dia se foi e mais uma noite chega. Talvez por isso muitos enxerguem a vida humana como se fosse um ciclo eterno. Não é. Sabemos que não é. Para muitos o viver de hoje será sequenciado por uma nova etapa. Acreditam que é como a noite que sucede o dia. Há quem creia que depois desta vida existe outra. Para outros existe o sono e em seguida uma nova vida. Para outros existe o fim (simples assim). Nosso planeta teve e terá muitos dias e muitas noites. Não podemos atribuir a nós uma existência similar ao nosso mundo. A realidade não anda de mãos dadas com o devaneio.  

Enéias Teles Borges

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails