sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Namoro: dia, mês e ano

Foi no dia 23 de fevereiro de 1985. Dia, mês e ano. Começo do nosso namoro. Local: a pizzaria Mourisco. Lembro-me como se fosse hoje. Dizem que os homens não guardam as datas importantes na memória. Comigo não! Nunca esqueci dessa.

Depois do primeiro beijo tornou-se necessária uma praça. Início de namoro sem uma pracinha? Impossível! Fomos até aquela, da Floriano Peixoto, bairro de Santo Amaro, na Capital Paulista.

Podem crer! A praça era calma e lembrava um bucólico bairro do interior.

Hoje, 22 de fevereiro de 2008, estamos a um passo de completar vinte e três anos de namoro. Não me esqueci da data e até comprei o perfume que ela diz ser o seu favorito (pelo menos por enquanto): um Mont Blanc!

Passados vinte e três anos eu reafirmo minhas convicções: um bom relacionamento é aquele que além de respeitoso é renovado a cada dia. Eu faço a minha parte e reconheço que é o mínimo. Provavelmente o maior esforço, neste sentido, adveio da minha companheira.

Companheira? Mais que isso... Uma escudeira, quem sabe. Digo apenas esta frase para não ter que declinar muitos termos e expressões.

Vinte e três anos, duas filhas. Muita luta, vitórias e decepções. Mas eu admito: nunca estive só. Hoje sei disso e provo!

Eu desejo, amigo leitor, que me seja possível, por muitos e muitos anos poder lembrar do dia, mês e ano desse fenomenal acontecimento na minha vida, e na dela, claro!

Salve vinte e três de fevereiro!

Um comentário:

Cleiton Heredia disse...

O amor é lindo...

Parabéns a vocês dois por serem representantes de uma classe em extinção, a saber, a classe dos homens e mulheres que acreditam que o casamento não é o fim do namoro nem do amor, e que insistem em vivênciar uma união duradoura quando a maioria está desistindo.

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails