quinta-feira, 10 de novembro de 2011

A soma de todos os medos - IV

Um conhecido me descreveu o que imaginava ser o inferno para os ímpios. Como seria o sofrimento eterno das pessoas que não conseguissem a salvação. O inferno, temido castigo dos injustos, dos que se recusaram temer a Deus e viver de acordo com o seu ordenamento de justiça e amor.

No inferno existiriam dois níveis de infiéis sofredores. Os comuns, que arderiam eternamente no fogo. Segundo ele o sofrimento destes seria menor. Estariam, depois de algum tempo, acostumados ao fogo e aprenderiam a ignorar a dor.

Os ruins, do segundo nível,  extremamente maus, sofreriam de uma forma bem mais desagradável. Queimariam numa chapa de ferro, sofrendo dores atrozes, derretendo igual gordura no fogo, durante 24 horas. Na virada do "dia" tudo seria recomeçado. Jamais se acostumariam com a dor, pois a cada dia o sofrimento seria renovado.

Ele não estava brincando. E mais: possui um nível de cultura e experiência de vida de classe média alta. É racionalista na vida comum e profissional. No que tange à religião ele age como se fosse outro indivíduo. Um ser, que ao pensar na religiosidade, dispõe-se a acreditar em tudo que venha do "altar".

O medo a todos assombra. Ricos e pobres, novos e velhos. De medo em medo a existência do fiel vai sendo construída de tal modo que ele, o fiel, desespera-se diante da famigerada soma de todos os medos. E assim caminha o mundo da fé. Mostra o inferno e diz existir um céu. Qual seria o preço de tudo isso?

Continua...

Enéias Teles Borges

2 comentários:

Daiana Ávila disse...

Achei ótimo seu blog, tanto que já add em meus favoritos
Abraço.

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Daiana,

Grato pela visita.

Abraços.

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails