segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Gays: nova novela da Globo

'Insensato coração' terá seis personagens gays e um homofóbico

Seis personagens homossexuais movimentarão a trama de "Insensato coração", novela que substituirá "Passione" no horário das 21h da TV Globo. A trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares vai ao ar a partir de 17 de janeiro.

A novela - que já pode ser considerada recordista em personagens com essa opção sexual - terá até um "point" gay: um quiosque na Praia de Copacabana.

O lugar se tornará sucesso quando sua dona, Sueli (Louise Cardoso), colocar uma bandeira do arco-íris para enfeitar a vendinha, sem saber que aquele é um dos símbolos da miltância homossexual.

No quiosque de Sueli, um dos vendedores, Xicão (Wendel Bendelack) será gay assumido enquanto o filho da proprietária, Eduardo (Rodrigo Andrade), se descubrirá homossexual. Antes disso, o jovem irá namorar uma mulher, Paula (Tainá Müller).

Outro gay promete agitar o núcleo de humor de "Insensato coração". Interpretado por Leonardo Miggiorin, Roni será o fiel escudeiro da Natalie Lamour (Deborah Secco), uma ex-participante de reality show, que sonha ter de volta sua fama e arranjar um marido rico.

Homofobia

Em contraponto ao time colorido de "Insensato coração", os autores Gilberto Braga e Ricardo Linhares também pretendem tratar da homofobia. O executivo Kleber (Cássio Gabus Mendes) manifestará preconceito contra seu próprio chefe, o advogado Álvaro (Edson Fieschi).

Completam o time de personagens homossexuais da novela o professor de Direito Hugo (Marcos Damigo) e uma agente penitenciária vivida pela atriz Cristiana Oliveira. Segundo a assessoria de imprensa da TV Globo, a personagem lésbica só deverá aparecer na trama a partir de março.

Com locações em Florianópolis e no Rio de Janeiro, "Insensato coração" terá como personagens centrais a mocinha Marina (Paola Oliveira), o herói Pedro (Eriberto Leão) e o vilão Léo (Gabriel Braga Nunes). Entre os destaques no elenco estão Gloria Pires, Antonio Fagundes, Nathalia do Valle, Fernanda Machado, Lázaro Ramos e Camila Pitanga.


Nota: Sempre ouvi uma frase de meus avós e pais: "tudo o que é demais, sobra". Sei que há uma luta em andamento, mas está tudo muito acelerado. Parece imposição. É certo que existe uma "nova ordem" em andamento, mas atropelar nunca fez bem e nunca o fará...

Enéias Teles Borges

2 comentários:

Patrícia_search disse...

Pecar por falta. ainda vai, mas pecar por excesso...
O que esssa novela fará na cabeça dos meus alunos e alunas se criança repetem tudo que vê?...

Felipe C. Novaes disse...

Já até discuti sobre esses temas com outras pessoas. O que a televisão faz é imitar a realidade, mas não de forma perfeita: ela exalta ou menospreza o que lhe é conveniente. Com relação à homossexualidade, realmente está havendo uma espécie de imposição...um exageiro que acho que não é muito real. Sobre sua influência em nosso dia-a-dia, acho que dificilmente as pessoas genericamente falando mudarão suas personalidades só porque a novela passou determinada coisa. Claro que existem pessoas que se deixam influenciar, mas acho que a maioria sabe dinstinguir bem ficção da realidade. Acho que nesse sentido a discussão de "Ah meu filho não pode ver tal coisa coisa porque é mal exemplo" é inútil porque ele vai ter exemplos iguais ou piores no próprio colégio, com os amiguinhos. Isso serve pra qualquer coisa, violência inclusive. Ainda mais que várias pesquisas concluíram que o fator que mais influencia na formação da personalidade de uma criança é o meio social em que ela mais está presente, ou seja, os amiguinhos da escola na maioria das vezes. Depois vem a genética e só em terceiro lugar vem as influência dos pais.

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails