segunda-feira, 19 de julho de 2010

Reflexões na estrada

Sábado, por volta das cinco horas da manhã, saímos de São Paulo e seguimos na direção de Vitória da Conquista, sul da Bahia. O caminho escolhido foi o de sempre: Fernão Dias, continuando pela BR 381 na direção de João Monlevade, passando por Ipatinga e seguindo na direção de Governador Valadares. Já na BR 116, Rio-Bahia, pernoite na minha terra natal, Teófilo Otoni. No dia seguinte saimos às oito da manhã e às duas da tarde chegamos ao  nosso destino (Vitória da Conquista-BA).

Motoristas irresponsáveis

O trecho da estrada entre Belo Horizonte e João Monlevade é muito perigoso. Conhecida como rodovia da morte. É um trecho que não chega a duzentos quilômetros, mas possui mais de duzentas curvas. Um perigo! Fiquei observando as loucuras de caminhoneiros e motoristas de carros leves. Meu cuidado era fugir dos loucos e dirigir muito concentrado. Desta vez vimos "apenas" um carro que se envolveu em acidente.

Esperança e tristeza

Nos vilarejos ao longo das BRs 381 e 116 foi interessante ver como as árvores, calçadas e pracinhas estavam pintadas nas cores da bandeira do Brasil. Esperança de vitória na Copa do Mundo e, no fim, tristeza. A seleção representa muito nessas cidades sem muita atividade...

Um país que precisa ser mais justo

O contraste que se nota nas cidades é absurdo! Os vilarejos, alguns em especial, parecem entregues à própria sorte (ou azar). Muitos locais que não contam, sequer, com energia elétrica.

Algo está sendo feito

A BR 116 está recebendo um tratamento que não recebia há 32 anos. As pistas estão sendo cuidadas "de verdade". Não se trata de simples recapeamento. Estão trocando o piso. Obra imensa que seguirá até Fortaleza. A foto ilustrativa é de um trecho que fica em Teófilo Otoni.

Estamos numa cidade serrana

Vitória da Conquista é uma cidade agradável, progressista e que vem crescendo em todos os bons aspectos. Lógico que ainda é uma cidade que precisa de noções elementares de civilidade. Mas é uma das promessas neste Brasil. O clima aqui está frio. Parece São Paulo. Garoa e frio. Comida boa, centro de compras moderno. Até redes interessantes estão por aqui. Bob´s e Mac Donalds são opções. Há boas salas de cinema e um comércio que se moderniza.

Finalizando

Foram 1450 quilômetros na estrada e muita reflexão sobre a vida. Vida que passa, vida que se esvai. Precisamos aproveitá-la bem. A vida, vivida dentro da realidade, sem utopias, traz seus benefícios e suas mazelas. Cabe-nos viver da melhor maneira possível.

Enéias Teles Borges

2 comentários:

Mariza disse...

Bom dia,

Tento falar isso apra meus pacientes. Não adianta buscar um remédio apenas se o mesmo encontra-se fechado apra a vida.

Cabe a nós encontrarmos nossa felicidade (sem culpar os outros pelas próprias frustrações).

Abraço

Mariza

Anônimo disse...

Bela (re)leitura da estrada que me nos proporcionou este texto. Gostei especialmente da abordagem sobre as desigualdades,que muitos olhos se recusam a ver, na tentativa de dizer a si mesmo que não existem. Excelente blog. Mariana, BH

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails