terça-feira, 22 de dezembro de 2009

POBRES PODEM FURTAR?


Pobres podem furtar?
Enéias Teles Borges


Eis aí uma polêmica: padre anglicano aconselha o furto e com uma ressalva: que seja em lojas grandes, que possam diluir os custos e repassá-los à população, em forma de elevação de preços. O que você acha? Eis o texto completo, extraído do Globo.

Padre britânico causa polêmica ao sugerir que pobres furtem

Polícia do norte da Inglaterra considera sermão de sacerdote anglicano 'altamente irresponsável'.

Um padre anglicano britânico aconselhou a seus fiéis que roubem em lojas se tiverem passando necessidade.

O padre Tim Jones, da paróquia de São Lourenço e Santa Hilda, no condado de York, no norte da Inglaterra, disse no sermão de domingo que as pessoas deveriam furtar de grandes cadeias de lojas e não de estabelecimentos pequenos.

Segundo ele, a atitude da sociedade para com os necessitados "deixa algumas pessoas sem outra opção a não ser o crime".

"Meu conselho, como padre cristão, é furtar em lojas", disse. "Eu não faço esta recomendação porque acho que furtar é uma coisa boa, ou porque acho que não faz mal, pois faz."

"Eu pediria que não furtem de lojas pequenas, de negócios familiares, mas de empresas de âmbito nacional, sabendo que os custos acabarão sendo repassados para o restante de nós na forma de preços mais altos."

"Quando as pessoas são libertadas da prisão ou se encontram repentinamente sem trabalho ou apoio da família, deixá-las por semanas e semanas com apoio social inadequado (...) é uma insensatez monumental, catastrófica."

'Irresponsável'

Mas o Arquidiácono de York, Richard Seed, disse: "A Igreja da Inglaterra (anglicana) não recomenda que ninguém furte."

"O padre Tim Jones está levantando questões importantes sobre as dificuldades que as pessoas enfrentam quando o apoio social não é oferecido, mas furto em lojas não é a forma de superar essas dificuldades."

A polícia da região, Yorkshire do Norte, qualificou o sermão como "altamente irresponsável".

Um porta-voz da força disse que, apesar de as pessoas sofrerem dificuldades financeiras, "furtar em lojas ou cometer outros crimes nunca deveria ser a solução".

"Fazer isso seria tornar a espiral (social) descendente ainda mais rápida, tanto para o indivíduo quanto para a sociedade como um todo", afirmou.

Mais tarde, em entrevista à rádio da BBC em York, Jones afirmou que sua intenção não era encorajar as pessoas ao furto, mas a doar mais para a caridade para impedir que os necessitados fiquem desesperados.

"Se uma pessoa esgotou todas as oportunidades dentro da lei para obter dinheiro e ainda está em uma situação desesperadora, a melhor coisa a fazer moralmente é pegar apenas o que precisar e só pelo tempo que precisar", afirmou.

O padre Jones chegou às manchetes dos jornais em maio de 2008, quando fez um protesto contra o uso do logotipo da marca Playboy em material de papelaria destinado ao público infantil. Ele foi a papelarias locais e jogou a mercadoria no chão.

Fonte: [Globo].

Nota: Não é difícil condenar o padre. Complicado mesmo é achar uma solução para problema social envolvendo pessoas necessitadas de um lado e pessoas abastadas de outro.
-

5 comentários:

Cleiton Heredia disse...

Se pobres podem furtar, então homens e mulheres cujos cônjuges não lhes satisfaçam sexualmente podem adulterar e os terroristas podem matar inocentes para chamar a atenção para o sofrimento e opressão do seu povo.

O padre está preocupado com os pobres? Simples! Basta reverter a totalidade dos dízimos arrecadados para causas beneficentes, ao invés de servirem para manter os privilégios do sacerdócio.

Alexandre - Condor disse...

Vai ver que ele assistiu Robin Hood! e ficou empolgado!

Altamirando Macedo disse...

As pessoas abastadas não são culpadas pelo infortúnio de ninguém.Desonestidade e sujeira não são sinônimos de pobreza.A igreja perdeu o poder de extorquir dinheiro dos ricos e está induzindo os pobres a fazerem isto por ela.Cristianismo Maquiavélico.

Murilo disse...

Mesmo cometendo crimes, como matar e roubar em nome de Deus( Cruzada e Inquisição) a igreja sempre pregou os bons costumes.Defendendo-os, perdeu a sua melhor referencia. Será que a igreja anuncia sua queda?

Brasil Desnudo disse...

A lendária História do Príncipe dos Ladrões, Robin Hood, volta à tona, agora sendo seu protagonista, O padre Tim Jones, da paróquia de São Lourenço e Santa Hilda, um cidade longínqua da Inglaterra.
O lendário Robin Hood, filho de uma Barão na época, revoltado com a morte de seu pai e as injustiças do reinado, comandado na época pelo Rei Ricardo Coração de Leão, assim como era chamado.
Parece que o padre Tim Jones, porque não " Frei Tuck", parece voltar aos tempos Medievais, e aconselhar aos fiéis que roubem dos ricos e não dos pobres.
Isso demonstra que hoje, em pleno séco XXI, dentro de um País Reinado como a Inglaterra, faz seu povo, não esquecer de uma História lendária de mais de 700 anos, onde através da pobreza e miséria que seu povo ainda amarga.
Os súditos da Rainha " Elizabeth Coração de Leoa", para manter seu real Palácio de Buckingham e seus soldadinhos de Ouro....
Com certeza ela está preocupada, pois já ordenou que a floresta de Sherwood seja vasculhada atrás de seguidores do Lendário ou do Frei Tuck.
Esse epsódio só demonstra que muito pouco mudou nos Corações de Leões dos nossos governantes, pois a Inglaterra, um dos países ,mais ricos, minúsculos do bloco Europeu, que se opôs ao Euro, impondo sua Libra como moeda ainda Real, mas que a realidade do povo vivendo ainda em distorções de desigaldades tão distorcida como é o Poder Britânico.

Manter seu castelo e seus soldadinhos de ouro, custa ao povo, as masélas da miséria que depois de séculos ainda se perpetúa mundo a fora e , dentro da própria Burguesia real Britânica.

Marcio RJ

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails