domingo, 28 de novembro de 2010

Não tenho fé suficiente para ser ateu - I

Idéias com o objetivo de destruir a fé cristã sempre bombardeiam os alunos do ensino médio e das universidades. Este livro serve como um antídoto excepcionalmente bom para refutar tais premissas falsas. Ele traz informações consistentes para combater os ataques violentos das ideologias seculares que afirmam que a ciência, a filosofia e os estudos bíblicos são inimigos da fé cristã.

Antes de tocar a questão da verdade do cristianismo, essa obra aborda a questão da própria verdade, provando a existência da verdade absoluta. Os autores desmontam as afirmações do relativismo moral e da pós-modernidade, resultando em uma valiosa contribuição aos escritos contemporâneos da apologética cristã.

Geisler e Turek prepararam uma grande matriz de perguntas difíceis e responderam a todas com habilidade. Uma defesa lógica, racional e intelectual da fé cristã.
-
Nota do Editor: Comecei a leitura desse livro na semana passada. Ganhei-o de presente do amigo e intelectual Cleiton Heredia do blogue Saber, Saúde e Virtude. Não posso tecer comentários iniciais e também não posso afirmar que as ponderações acima, do blogue Apologia, são eficazes. Voltarei ao tema mais adiante. Estou desenvolvendo um projeto pessoal que passará pela leitura de livros que entram em rota de colisão. Além desse não deixarei de opinar a respeito de outro: Deus, um delírio...

Nota do dia 05/01/2010: Já terminei a leitura do livro (faz tempo) e também li Deus, um delírio. Não quero aqui fazer juízo de valor no que tange ao lado que está com a verdade. Prendo-me à consistência dos argumentos e no caso o livro Deus, um delírio trouxe reflexões mais abrangentes e contundentes. Recomendo a leitura de ambos.

Enéias Teles Borges
Postagem original: 03/10/2008
-

26 comentários:

Ricardo disse...

Olá Enéias,

Quanto ao titulo do livro em questão - “Não tenho fé suficiente para ser ateu” - gostaria de lembrar que não é necessário ter fé para ser ateu. O ateu não tem fé na inexistência de Deus, ele tem certeza disso, caso contrário não seria ateu. O crente é que precisa de fé, pois acredita em algo que não se pode provar.

Ademais, esse joguinho de palavras que crentes e descrentes utilizam na sua guerrinha filosófica é um exercício de mediocridade.

Francisco Castro disse...

Olá Enéias, gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.

Parabéns!

Abraços

Paulo disse...

Bom dia Enéias,

Ainda não li este livro, mas já tenho boas referências para adquirí-lo. Quanto ao comentário do Ricardo, posso dizer que para ser Ateu, você deve ter algumas convicções e estas convicções são contrárias a existência de Deus ou de deuses e, por isso do título. Talves fosse legal você ler este livro antes de comentar o título. Eu não vou comentar nada ainda porque não li. Seu julgamento quanto aos crentes ou descrentes está um tanto superficial. Se tu aprofundares um pouco mais a análise vai perceber que há muito mais em jogo do que parece. Quem precisa provar que o Universo "nasceu" de uma explosão são os cientístas. Eu não consigo acreditar que a perfeição do universo e de tudo que nos rodeio "nasceu" ao acaso. Acreditar que o Universo foi criado assim é uma visão um tanto simplista e , aqui sim, mediocre. Seria como acreditar que meu relógio nasceu de uma explosão de peças ou pedaços de relógio. Por favor...

Vinícius disse...

A mente humana sempre trava quando volta no tempo. Se afirmam que tudo começou com uma explosão, o que havia antes da esplosão, como pode uma explosão explodir do nada? Se Deus realmente existe, Ele está na origem, daí porque pensar nesta hipótese é razoável. Contudo, e o método científico que deve ser observado assim como um cânone para que uma teoria seja aceita? Este método é mesquinho para provar a teoria do Big Bang! A hipótese metafísica de Deus é muito mais crível.

Anônimo disse...

OLá

Sou teísta, Estudei teologia por um tempo, agora to estudando física (mas não sou referÊNCIA EM NENHUMA DAS ÁREAS).
Um dos comentaristas acima foi sábio em dizer que antes de criticar o título do livro é bom o ler. Digo também o mesmo a respeito da gaande explosão na origem do mundo. Como falei, sou apenas estudante, mas coisas podem "surgir do nada", no vácuo podem surgir uma partícula e uma anti partícula, por exemplo. Nem sempre a natureza se comporta como estamos acostumados a ver, há muito mais além de nossa percepção, como as dimensões do universo, por exemplo.
Antes da teoria da explosão, físicos de renome criam que o universo sempre existiu. Devemos muito a quem nos esclareceu que ele teve um início e "surgiu do nada" exatamente como o verbo hebraico em Genesis 1:1, bereshit (se não me engano), significa: fazer surgir do nada.
Se só existe uma verdade, a ciência, filosofia e teologia, estão convergindo para um encontro entre si.
Sobre o livro em questão, é muito interessante. Gostei dele, mas não concordo com tudo o que diz. Por exemplo, ele diz que podemos conhecer a verdade direamente. Creio que estudamos uma mesma realidade objetiva como os óculos que temos, fazendo cada um a sua abordagem

Evandro Pereira disse...

Sou cristão, mas nem por isso defendo o livro, visto que ainda não o li.], mas com certeza foi um ato de total ignorancia ter criticado o título do livro sem o conhecer e te-lo lido. O título realmente é intrigante, mas lembre-se que apesar de tudo tem a questão de marketing, e ninguém compraria ou leria um livro que o título não lhe interessasse ou despertasse sua curiosidade (por isso intrigante), e, além disso, provavemente após ler o livro será possível entender o que ele quer dizer com essa fé mencionada no título.
Não se pode provar a inexistência de Deus, por isso ateus "caem na mesma" que os crentes (como Ricardo se referiu), pois TEM FÉ NA INEXISTENCIA DE DEUS, que não pode ser provada.

Anônimo disse...

Eis a questão para quem acha que a existência de Deus não pode ser provada no entanto ela pode sim,mas o segredo do Senhor é para aqueles que estão com o coração aberto e possuem humildade para conhecê-lo.É como está escrito muitos são chamados poucos escolhidos e aqueles que querem e tem o desejo de conhecer Deus verdadeiramente o conhece no seu mais íntimo e quem o tem na sua vida realmente sabe o que eu estou dizendo.A questão da fé ,bem todos temos fé em alguma coisa ,mas a fé no Senhor Deus é algo que o mundo não pode entender nem compreender.Porque o Senhor usa as coisas loucas desse mundo para confundir as sábias e as utiliza as coisas fracas e desprezíveis desse mundo para aniquilar as fortes.Entender a existência de Deus ,bem ninguém entende e nunca vai entender ,mas o que ele representa em muitas vidas e o que ele faz só quem teve essa experiência pode entender o quanto ele é bom e incomparável e um amigo fiél.
A palavra de Deus diz que sem Deus nada podeis fazer , quem não acredita em Deus e tem certeza da inexistência de Deus ...não sabe o que está perdendo..Quanto ao livro não tive a oportunidade de ler mas achei o título interessante .

welton alagoas disse...

Amigo anonimus vc ta equivocado quando fala que a antimateria surge do nada,para que elas sejam criadas precisa de energia portanto não é o nada absoluto,parte sim de alguma coisa

Anônimo disse...

Não entendo alguns "Ateus" que dizem que nao acreditam em Deus e falam tanto nele. A prova que Deus existe é que até quem não acredita fala nele. Se vc nao acreditasse na existencia de Deus de verdade, vc não comentaria tanto, vcs diriam apensas que não existe, mas vcs falam tanto, é porque esse assunto entriga à vcs. Quanto ao título do livro, é bem criativo, faz sentido, por isso que provoca raiva e opniões.

Alisson-UFC disse...

"O crente é que precisa de fé, pois acredita em algo que não se pode provar."

Sr. Ricardo

Para começar não se pode provar cientificamente que Deus não existe. Deus é transcendente por definição. Ele é além do natural. Isso implica que é preciso ter Fé para ter certeza que Deus não existe, visto que a definição bíblica de Fé é esta: Fé é a certeza das coisas que não se podem provar e a convicção de fatos que ainda não aconteceram.

Aline Gimenez disse...

Olá amigos.. já li o livro e confesso que é um daqueles livros que não nos arrependemos de comprar e temos ciúmes de emprestar... Muito bacana para aqueles que sinceramente têm dúvidas a respeito existência de uma verdade única, de uma religião verdadeira, de um único Deus (ou da própria existência dele). Para aqueles que buscam sanar suas dúvidas, indico-o como instrumento muito capaz. Atento aos amigos que a crítica precipitada, como um colega que citou possível discordância do título da obra, acaba sendo um tiro pela culatra... ao ostentar falso conhecimento acabou mostrando sua insipiência.

## disse...

Quanto a questão da fé, o próprio livro traz a informação que a mente humana só pode ter no máximo 95% de certeza sobre algo.

Isto quer dizer que a fé é necessária tantO para crer como para não crer.

Nós temos que seguir o caminho que as evidências apontam e para buscar essas evidências é necessário ler livros tanto de crentes como de não crentes.

Deus abençoe

Digi-Alchemist disse...

Bom Dia/tarde/noite/madrugada

0. Conheci o título desse livro de uma forma inusitada. Por um acaso (ou não), certo dia na rua, já bem perto de casa, me deram uma revista do RR Soares. Guardei. Dias depois, curioso que sou, acabei lendo e descobri esse título (a lampadinha acendeu), decidi perguntar ao Google, que me trouxe pra cá!

1. Isto porque tanto eu quanto a Edilaine, minha Mestra, acreditamos na existência dEle. É necessário ter fé? Sim. Precisa de 100% dela? Absolutamente não. Como disseram, o próprio livro traz a informação que a mente humana só pode ter no máximo 95% de certeza sobre algo. Se tal se sucede, então é possível ter certeza de 100%, por exemplo, 95% de evidências científicas e 5% usando a fé.

2. Como já diz o velho e conhecido refrão, não se pode julgar um livro pela sua capa, sem tê-lo lido. Isto se aplica ao título, também.

3. Nós temos que seguir o caminho que as evidências apontam e para buscar essas evidências é necessário ler livros tanto de crentes como de não crentes. Está aí! Era isso que procurava! Precisamos ouvir os dois lados da história (coisa que a Imprensa não costuma fazer) para depois julgar. É bom ler livros de autores cristãos, como também os de autores não-cristãos, ateus, humanistas e ocultistas.

4. Portanto, não posso falar do livro. Falta adquiri-lo, falta lê-lo, ruminá-lo etc. Ainda nem comecei nesta estrada específica.

5. Por último, reconheço que o importante é o conhecimento e a busca. É o que fazemos os alquimistas digitais (e não me limito ao mundo informático, apenas).

Dr. Mahathan disse...

Olá amigos, recebi o livro emprestado e o li. Devemos todos assumir que os autores são um tanto habilidosos e talentosos na construção do texto, apesar de toda a propaganda reacionária que fazem. Crer ou não no que dizem é irrelevante, pois isso é questão de fé. Vale ressaltar que a leitura é agradável, independente do que o leitor creia (particularmente não compartilho do que os autores pregam, porém reconheço o talento de ambos e os indico como leitura).
Quanto às guerras filosóficas acima escritas, podemos dizer que crer em Deus ou na explosão do Big Bang, ambas as ideias são destituidas de provas concretas. Ninguém, por mais que afirmem cientistas e teólogos, pode comprovar nada. Não adianta desdizerem esse pensamento, pois o certo é que nenhum dos lados vai provar nada. Não confundam a espiritualidade com os dogmas e a ciência no estágio atual com o que realmente existe no Universo.
Cada crença terá a sua própria apologética e vai dar provas "concretas" de sua superioridade, contudo, isso será falso. Primeiro o conceito de Deus, como todas as crenças veem, é fruto de pensamentos e mitos antigos que derivam das figuras inconscientes paterna e materna do ancestral das cavernas. Segundo, se não conseguimos nem mesmo fazer uma viagem à Lua (se não creem reformulo a pergunta). Se não conseguimos nem mesmo mandar uma tripulação à Lua e à Marte, se não conseguimos calcular nada fora de nossa atmosfera, como podemos ter certeza absoluta de ser o Big Bang, a Teoria das Cordas, etc., a verdade?
A única verdade é que somos uma espécie ainda engatinhando em verdades científicas e vamos descobrir um dia a resposta para perguntas que hoje fazemos, assim como nossos antepassados perguntavam como nascíamos, porque o raio caia, etc.. Quanto à nossa espiritualidade, ela está embasada nos atos de bem, pois o resto é irrelevante. Somos seres físicos com sentimentos derivados de um universo físico e nossa espiritualidade só é baseada nisso, assim como os nossos parâmetros de bem e mal.
Por fim vale ressaltar e pergunto aos dois bitolados que levantam as bandeiras contra e a favor de Deus:
Vocês, por mais que queiram provar algo com suas ideologias, acham realmente que tem alguma vida inteligente nesse planeta? Se disserem que sim, olhem para as próprias atitudes e verão que ainda não existe nenhuma.

Guedes disse...

Este último comentário do Dr. Mahathan foi o mais objetivo e coerente até agora. Eu também compartilho com a idéia de que ninguém, absolutamente ninguém pode ter qualquer certeza sobre estes assuntos, tudo é questão de análise e convicções pessoais, o máximo que podemos fazer é colaborar por meios como este para demonstrarmos o que pensamos, mas ninguém pode ter a presunção de se achar com a verdade, nem religiosos e nem ateus. Como ele também disse, deveria ser senso comum em basearmos nossa vivência nos "atos de bem" que sob qualquer circunstância mostra-se que é o que realmente importa, pois nos faz bem e faz bem aos outros (e não deve ser porque o altruismo tenha alguma vantagem evolutiva). Se vivermos com o único objetivo de agradar a um deus, fadas, ou outros seres imaginários e termos uma próxima vida em paraíso, somos piores que vermes, parasitas mesmo. Mas se vivermos corretamente, sem prejudicar ninguém intencionalmente, e sendo possível ajudar o próximo, não precisamos de forma alguma acreditar em seres imaginários para nos sentirmos completos. Se este ser existir e vivermos de forma correta e o ignorarmos, ele entenderá, se não entender, problema dele, não nos merecerá e deverá ser muito pior que nós. Se ele não existir, teremos vivido da melhor forma possível e não perderemos nada. Já lí "Deus um delírio" e estou lendo-o novamente e o considero o livro mais esclarecedor e libertador que já lí. Já lí dezenas de outros livros religiosos, filosóficos e vou ler este também. Pois só podemos ter algumas vagas convicções após analisarmos sem preconceito os dois lados. Me considero agnóstico hoje, pois de certa forma concordo com o título deste post.
Obs.: Desculpa bem oportuna dos religiosos em dizer que deus age de forma misteriosa para que só quem acredite nele seja escolhido. O verdadeiro teste, se existir, deveria ser pelos nossos atos e não pela fé. Fé religiosa é uma muleta enfeitada para acreditar no imaginário. Fé válida é aquela em coisas reais, tipo "tenho fé que conseguirei fazer tal coisa, terei capacidade e vontade..."

Elom disse...

Acreditam em um fossil de tecodonte de 250 milhoes de anos, que tudo acontece por acaso... e ainda não precisam de fé para acreditar am algo que não se pode provar???

"Deus não joga dados com o universo amigo!!!" (Albert Einstein)

Paulo disse...

li algumas postagens e percebi q alguns comentarios nao realmente fundamentalizam a sua concepção, oq é uma fraqueza, pois vc apela pra sinopse de um livro q foi escrita pela editora (obviamente com objetivo de vende-lo) para tentar nega-lo, além de usar recursos basicos mas não realmente críticos para negar (isso, mesmo, negar no sentido superficial da palavra) todas as ideias propostas no livro, como um a ideia de tendencia.. isso é um poco infantil..

enfim, espero q vc exerge isso.

abraço!

Cristhiane disse...

Ricardo, a intenção do título é justamente fazer o leitor pensar. Tanto para crer na existência de Deus quanto para crer na sua "inexistência" é necessário ter fé e é justamente esse ponto que o autor levanta. Recomendo que você leia o livro (não para provar um ponto ou outro), mas para reavaliar as suas certezas, já que não é possível ter a certeza ABSOLUTA de que Deus não existe. O livro é realmente muito interessante. Eu li e recomendo.

Cristhiane disse...

Ricardo, a intenção do título é justamente fazer o leitor pensar. Tanto para crer na existência de Deus quanto para crer na sua "inexistência" é necessário ter fé e é justamente esse ponto que o autor levanta. Recomendo que você leia o livro (não para provar um ponto ou outro), mas para reavaliar as suas certezas, já que não é possível ter a certeza ABSOLUTA de que Deus não existe. O livro é realmente muito interessante. Eu li e recomendo.

Anônimo disse...

Prezados,
nós estaremos eternamente discordando.
Criacionismo, evolucionismo, ateísmo, cientificismo e todos os outros "ismos" partem do pressuposto da fé.
Em outras palavras, todos são religião.
A ciência é uma balela.Um fato (não teoria; teoria nunca foi ciência) para ser ciência precisa passar pelo crivo do laboratório. No dia em que os cientistas criarem um organismo vivo em laboratório crerei na ciência.E não me venham com a conversa de que é necessário milhões de anos.
Um abraço.

Anônimo disse...

Prezados,
nós estaremos eternamente discordando.
Criacionismo, evolucionismo, ateísmo, cientificismo e todos os outros "ismos" partem do pressuposto da fé.
Em outras palavras, todos são religião.
A ciência é uma balela.Um fato (não teoria; teoria nunca foi ciência) para ser ciência precisa passar pelo crivo do laboratório. No dia em que os cientistas criarem um organismo vivo em laboratório crerei na ciência.E não me venham com a conversa de que é necessário milhões de anos.
Um abraço.

JORGE ALEGRIA disse...

NÃO CONSIGO CRER, QUE ALGUEM PODE DAR UMA OPINIÃO DE ALGO QUE NÃO CONHECE.ACHO ISSO ARRISCADO A SE EXPOR AO RIDÍCULO. VCS NÃO PODEM NUNCA SABER O GOSTO DO MAMÃO QUE COMI HOJE PELA MANHÃ.SUGESTÃO: PRIMEIRO LEIAM O LIVRO,DEPOIS BUSQUEM UMA EXPERIENCIA PESSOAL COM O SENHOR DEUS, TENTANDO SENTI-LO,COMO FOI CITADO ACIMA, COM HUMILDADE, E PAREM DE IR PELAS IDÉIAS DOS OUTROS.BUSQUE TER A SUA PRÓPRIA EXPERIENCIA,DEPOIS DIVULGUE,SE SENTIR VONTADE.

Anônimo disse...

Ricardo o título do livro é irônico.

Anônimo disse...

Quanta gente caindo na tática do "Papa-Léguas". Muitos deram um tiro no pé, ao postar um comentario antes de ler o livro. Alguém qui disse em outras palavras que tem serteza, que niguém pode ter serteza!
Neste livro os autores usam a razão e a lógica sistematicamente para conduzir os leitores a realidade que no final só pode ser negado por vontade e não pela razão.
Exelente livro!

PAULO HENRIQUE disse...

Ninguém pode provar que deus existe ou não existe isso é fato, mas fica uma pergunta no ar, alguém acredita que existam saci pererê, mula sem cabeça, ou que um elefante pode voar? com certeza ninguém acredita, é isso que deus significa para os ateus, é algo que não tem lógica, ridículo mesmo. e outra coisa ateu não obrigação de provar nada! os cristãos sim, que chegaram afirmando, então mãos a obra, que as evidências estão muito chulas...
ahh outra coisa, ninguem pode provar se deus existe ou não mas podemos provar que a bíblia de divina num tem nada.

JORGE ALEGRIA disse...

Paulo Henrique, vc só pode dar uma opinião daquilo que vc experimenta.Busque uma experiencia com ELE , depois se exponha para comentar algo de mais concreto. Verdadeiramente é só olhar para o Universo e verás a presença DELE. sÓ os que teve real experiencia.Vc tá vivo, ELE tem um propósito ainda com vc

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails