domingo, 8 de julho de 2012

O ateu e o pecado

No mundo cristão pecado é transgressão da lei ou de preceito religioso. Neste mesmo mundo, o ateu é aquele que crê na inexistência de deus. A partir destas duas premissas emergem conclusões e quase todas falaciosas.

A principal delas decorre de um raciocínio torpe: o ateu não crê na existência de deus e, por esta razão, não enxerga motivo para cumprir uma lei religiosa. Concluem, portanto, que o ateu é um transgressor por natureza (ou escolha), pois não está sob a lei divina.

Esta forma de raciocinar impregnou o mundo cristão de tal modo que as pessoas sempre veem num ateu a cumplicidade com o erro. Erro, diga-se de passagem, somente enxergado pelo cristão e, segundo ele, ignorado pelo ateu. É razoável supor, dentro deste mesquinho pensamento, que todo ateu é ruim por convicção. Não é de se estranhar a maneira como os menos esclarecidos e os bitolados da fé cega e da faca amolada insurgem-se contra os ateus como se eles conspirassem contra a ordem, a moral e a ética.

Crianças desde o início da vida são induzidas a pensar assim. Tornam-se adultas preconceituosas e colaboram para que esta violência ideológica passe de geração para geração. O ateísmo e o pecado se confundem na mente dos cristãos modernos (como se fossem palavras sinônimas), o que sempre ocorreu no passado...

Hoje eu compreendo isso com mais facilidade. Costumo formular perguntas escolhidas e as dirijo a muitas pessoas que conheço. As respostas são sempre eivadas de preconceitos. Atualmente o preconceito contra o ateu é imenso e absurdo. Os pais cristãos acostumam-se aos casamentos entre pessoas de "raças" e "cores" diferentes. Até mesmo entre pessoas de religiões cristãs diferentes, mas casamento de cristão com ateu? Nem pensar...

Alguém discorda? Faça, de forma bem discreta, umas perguntas bem formuladas para os amigos que conheça de forma amistosa. Verá que estou coberto de razão, infelizmente...

Enéias Teles Borges
Postagem original: 04/06/2010

2 comentários:

cogitavel disse...

Há razão sim em sua conclusão.

Por ser criado em uma família cristã, onde meu avô era missionário da eucaristia e seus três filhos [meus três tios] são padres, foi muito natural escutar coisas como: o ateu não presta.

A primeira vez que eu ouvi falar a palavra Ateu, foi de uma amiga minha. Eu perguntei qual era a religião dela e ela disse que era atéia. Cheguem em casa, perguntei para minha mãe e ela disse para eu me afastar. Mas acontece que eu gostava dela.

O tempo passou. Naquela época eu tinha apenas oito anos. Hoje as coisas mudaram, ela é cristã e eu sou ateu. Ela não é mais aquela garotinha linda, pelo menos para mim. Agora ela sai com marginais e pessoas do gênero. E não parece ser feliz.

Mas voltando ao assunto: acontece muito disso. Mês passado, um gerente de um banco foi preso por formação de quadrilha. Ele tinha uma aliança na mão, isso apontava que ele era casado em igreja, ou seja, era cristão. Mas isso não foi o bastante para convencer meu pai, ele, de forma incipiente, afirmou que aquele era ATEU. Isso para mim ultrapassa as barreiras ignorância.

Robinson Sandi disse...

é bom saber que existem cristão de boa indole , que não tenham preconseitos com ateus.

eu sou ateu , namoraria uma evangelica e se nos amassemos eu casaria com ela, poderia ser na igreja ser ateu não é ser dogmatico eu não deixo de curtir o natal pascoa por ser ateu . não vejo problema algun nisso , o que eu considero mais importante nessa vida é o amor independente de credo.


o que não pode acontecer é um tentar converter o outro, respeitar a crença ou descrença.

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails