quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Vida fora da terra: possível?

Nasa acha molécula orgânica em planeta fora do Sistema Solar


Pesquisadores da Nasa anunciaram a descoberta de química básica para a vida em um segundo planeta quente e gasoso, muito distante do nosso Sistema Solar. Feito na terça-feira (20), o anúncio da pesquisa também informa que isso permite aos astrônomos avançar quanto à identificar planetas onde a vida possa existir.

O planeta, que leva o nome de HD 209458b, não é habitável, mas possui a mesma química que, se encontrada em um planeta rochoso no futuro, pode indicar a presença de vida.

"É o segundo planeta fora do nosso sistema solar em que água, metano e dióxido de carbono foram encontrados --elementos potencialmente importantes para processos biológicos em planetas habitáveis", disse o pesquisador Mark Swain, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa. "A descoberta de componentes orgânicos nos dois exoplanetas já traz a possibilidade de que será corriqueiro encontrar planetas com moléculas que podem ser vinculadas à vida."

Os pesquisadores usaram dados de dois observatórios em órbita: os telescópios espaciais Hubble e Spitzer, para estudar o HD 209458b --que, além de quente e gasoso, é gigante (maior do que Júpiter) e orbita em uma estrela semelhante ao Sol por volta de 150 anos-luz de distância da constelação de Pegasus.

A descoberta segue a uma outra, ocorrida em dezembro de 2008, que mostrou a presença de dióxido de carbono (CO2) em outro planeta do tamanho de Júpiter, o HD 189733b. Observações anteriores do Hubble e do Spitzer também tinham revelado que o planeta contém água em vapor e metano.

Para rastrear as moléculas orgânicas, a Nasa usou espectroscópios, instrumentos que dividem a luz em componentes para mostrar a "assinatura" de diferentes elementos químicos. Dados da câmera infravermelha do Hubble e do espectrômetro de multiobjetos mostraram a presença de moléculas, e dados do fotômetro e do espectrômetro infravermelho do Spitzer mediram as respectivas quantidades.

"Isso demonstra que nós podemos identificar as moléculas importantes nos processos de vida", disse Swain. Os astrônomos podem, a partir de agora, comparar as duas atmosferas de ambos os planetas, pelas diferenças e similaridades. Por exemplo: as quantidades de água e dióxido de carbono relativas a ambos os planetas são similares, mas o planeta HD 209458b mostra ter metano em abundância, quando comparado com o HD 189733b. "A alta abundância de metano está nos dizendo alguma coisa", disse Swain. "Pode significar que houve algo especial sobre a formação deste planeta."

Fonte: [Universo Online].

Nota: Fico imaginando como as religiões passarão a se comportar caso tais evidências passem a ser provas de vida fora do Sistema Solar. Refiro-me à vida em estado primário - longe do estado de perfeição. A Teoria da Evolução ganhará força brutal e aqueles que praticam a ciência pobre mesclada à religião torpe terão que readaptar conceitos ou oferecer a mão aos que estiverem mais próximos da realidade.[ETB]
-

2 comentários:

Cleiton Heredia disse...

Estou curioso em saber como o Paladino da Fé, Michelson Borges, comentará em seu blog esta notícia (se é que irá comentar).

Michas disse...

Demais!
Mas que descoberta, hein? Torço, de coração, para que exista vida fora da Terra. É triste imaginar que estamos sozinhos no universo. =(

Imagina se daqui a uns anos,descobrem ser possível realizar viagens para fora da Via Láctea, e decidem fazer expedições? Estilo Star Trek (Jornada nas Estrelas)?? Seria muito interessante!

"O Universo...a fronteira final..."

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails