segunda-feira, 21 de setembro de 2009

QUARENTA E SETE ANOS!

Quarenta e sete anos!
Enéias Teles Borges


Foi no dia 21 de setembro de 1962 que vim para este mundo. Vim para este mundo ou a este mundo? Não se diz que quem vai para um lugar é algo definitivo? E quem vai a um lugar é para não permanecer por lá? Vim ao mundo para dele seguir para um mundo eterno e de paz ou vim para ficar para sempre, transformado em outro tipo de matéria ou energia?

Não me importo com esses “pormenores” e sim com o fato de que hoje eu completo 47 anos de vida, bem casado e com duas filhas. Não sei exatamente porque, mas retorno sempre a 1979 quando completei 17 anos. Talvez porque naquele ano, no dia 11 de dezembro, eu passei a morar aqui em São Paulo...

Sinto-me um pouco cansado, mas grato pelas conquistas. Sim, conquistas! Viver quarenta e sete anos é uma grande conquista e o que foi auferido neste período também configura grande vitória. Tenho conseguido vencer dia após dia ao longo de quarenta e sete anos!

Ultimamente galguei outro patamar: aquele de dissociar a cultura religiosa da ética e da moral. É possível chegar aos 47 anos, sendo agnóstico e mantendo os mesmos postulados da moral e da ética. Não é para comemorar? Passei tanto tempo ouvindo que ser religioso é bom e não ser religioso é ruim e feio... Pois é, consegui! Constatei que um ateu também pode ser ético e de grande padrão moral! Não é uma conquista, esta constatação de que é possível saber que o ser humano pode ser bom ou ruim independentemente de ser teísta ou ateísta? Notem: é constatação! Não falo porque ouvi falar e sim porque vi e vivi...

O que sinto vontade de exclamar neste dia 21 de setembro de 2009 é que o melhor presente de aniversário é presenciar harmonia no lar e na sociedade. E para que isto seja alcançado não é necessário que se seja “religioso, agnóstico ou ateu”. Basta apenas buscar viver de forma correta, trabalhando e conquistando cada dia o pão necessário para a família, sem fazer desta labuta um degrau para se conseguir um céu ou fugir de um inferno. Não é uma expressão de liberdade? Há maior presente do que “vida com liberdade”? Não é assim que se conhece a verdade e que por intermédio dela se obtém a liberdade?

Estou chegando bem perto do meio século de vida. Estou a caminho dos cinquenta anos. Penso e repenso que até os dez anos eu fui um curioso, até os vinte anos um aventureiro, até os trinta anos um observador, até os quarenta anos um pesquisador... O que direi do período até os cinquenta anos, que serei, quem sabe, um homem sereno? Sereno por ter descoberto e aceitado a minha trajetória neste mundo, não me importando qual seja este caminho?

Eis a questão que fica suspensa por três anos...

Até lá: salve 21 de setembro de 2009! Sem festa, sem bolo, sem refrigerantes, sem salgadinhos e sem alarde, como sempre gostei e continuo gostando...
-

4 comentários:

Sabrina Noureddine disse...

Parabéns!!!
Em 03 anos provavelmente vc poderá definir esse período de sua vida de muitas maneiras, mas principalmente por difundir e auxiliar a reflexão de muitas pessoas sobre temas que a mídia em geral não discute!
Parabéns novamente!!!
Abs.

A arte de ter razão disse...

Parabéns Enéias,

"Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa." - Autor desconhecido

Cleiton Heredia disse...

Parabéns meu amigo!
Seja bem-vindo à casa dos 47 (cheguei nela já há 6 meses).
Recomendo, por experiência própria, um cuidado muito especial com a saúde evitando a todo custo o estresse. Nesta faixa etária o corpo e a mente não costumam perdoar mais tão facilmente os abusos e excessos.

Altamirando Macedo disse...

Parabéns, Enéias.
Fase boa, já passei por ela há 13. Justamente aos 13 eu deixei de ser criacionista, alienado por minha avó materna.Foi quando eu comecei a interpretar e entender o que lia, aos 13. Há 47, sua idade hoje, sinto orgulho e tranqïlidade por ser como sou, respeitado como sou e feliz como sou.Sem estigmatismo.Nunca levei meus filhos em igreja alguma e irão se quiserem. Respeito, mas não faço comparações a religiosos.

Textos Relacionados

Related Posts with Thumbnails